Entrevista com Conselheira do MNT para TV SERPRO

Por MNT em . Publicado em Entrevistas

Durante o VI Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletônico, CONSEGI, que aconteceu em Brasília dos dia 13 a 15 de agosto de 2013, a Conselheira Danielle Oliveira participou de um bate-papo com o tema: "Mulheres e TI: ainda existe preconceito?".

A entrevista está disponível na íntegra no site da TV SERPRO e no Youtube.

A Secretaria de Política para Mulheres também fez matéria sobre o assunto. Confira

Comentário (0) Hits: 982

Rup - Rational Unified Process

em . Publicado em Artigos

 

RUP


É um processo de engenharia de software, oferece uma abordagem baseada em fases e disciplinas que atribuem tarefas e responsabilidades dentro de uma fábrica de software. O RUP, Rational Unified Process, tem como objetivo garantir a produção de softwares de alta qualidade e que, principalmente, atenda às necessidades do cliente dentro de um orçamento previsível. Usa a abordagem orientada a objetos e é projetado utilizando a notação UML, Unified Modeling Language, para ilustrar processos em ação.
Este processo está sendo cada vez mais utilizado pelas fábricas de softwares de pequenas, médias e grandes empresas, então um profissional que entende bem este processo é muito valorizado, além de haver muitas oportunidades para os que são certificados em RUP.
Portanto se você pretende ser um analista de sistemas, requisitos ou, até mesmo, um gerente de projetos mais valorizado, estude e se dedique para ser um profissional certificado em RUP.

 

Certificação RUP

A certificação “IBM Certified Solution Designer – IBM Rational Unified Process V7.0?, é oferecida e emitida pela IBM e pode ser obtida com a realização do teste IBM-839. Com a aprovação desse teste o profissional mostra ao mercado de trabalho que realmente conhece o RUP versão 7. O teste é realizado pelo centro autorizado Prometric e, atualmente, custa $150,00, podendo ter este valor alterado.
Para ser aprovado no teste o profissional deve acertar, no mínimo, 62% das questões e, para isto, são necessários alguns dias de estudo. Entretanto, não se desanime, a prova é fácil e o próprio site oficial da certificação oferece ajuda aos estudantes.
Ficou interessado em aprender como funciona este processo? Então continue acompanhando o site /MNT, pois serão publicados vários artigos sobre o assunto.

 

Visão Geral

Quando se define RUP como um processo, é importante saber que um processo define quem (papel) está fazendo o quê (artefatos), como (atividades) e quando (fluxo) de modo a alcançar um objetivo estabelecido.

  • Papel: Descreve a função de cada envolvido;
  • Artefatos: São os produtos resultantes de um processo de software como, por exemplo, documento de requisitos, fluxogramas, entre outros;
  • Atividade: É a atividade que cada indivíduo responsável por desempenhar um papel;
  • Fluxos: É a ordem em que o processo se segue, normalmente é representado por fluxogramas de negócios, com ferramentas de BPMN ou pela linguagem de modelagem de dados, UML.

 

fasesFases do RUP

O RUP apresenta 4 fases:

  1. Iniciação / Concepção;
  2. Elaboração;
  3. Construção;
  4. Transição.

 

Disciplinas do RUP

Há 9 disciplinas seguidas pelo RUP:

  1. Modelagem de Negócios;
  2. Requisitos;
  3. Análise e Design;
  4. Implementação;
  5. Teste;
  6. Implantação;
  7. Gerenciamento de Configuração e Mudanças;
  8. Gerenciamento de Projetos;
  9. Ambiente.

Mais detalhes sobre processos e sobre cada fase e disciplina RUP serão apresentados posteriormente em novos artigos.

 

 

Comentário (0) Hits: 2882

ITIL - Uma visão Geral

em . Publicado em Artigos

O-que-e-ITILNo final da década de 1980 a ITIL foi criada pel a CCTA (Central Communications and Telecom Agency), atual OGC (Office of Government Commerce) com o objetivo de avaliar a prestação dos serviços de TI no governo britânico. Após sucesso de utilização, as empresas de fora do governo perceberam que essas orientações eram geralmente aplicáveis aos seus negócios e ambientes computacionais, e, na década de 90, as práticas da ITIL passaram a ser adotadas pelos países da America do Norte.

A ITIL (Information Technology Infrastructure Library) é uma biblioteca que reúne as melhores práticas para processos de gerenciamento de serviços de TI testadas e comprovadas no mercado. Os benefícios proporcionados à organização pela implantação do ITIL são:

  • Melhora nos serviços de TI;
  • Redução de custos;
  • Melhora na satisfação do cliente por meio de uma abordagem de entrega de serviço mais profissional;
  • Melhora na produtividade.

Além disso, a ITIL dá ênfase à qualidade, definição, medição e melhoria de processos e gerenciamento de serviços de TI. Atualmente é utilizado em órgãos do governo e empresas privadas em todo o mundo, inclusive no Brasil.

Certificação ITIL
As certificações ITIL são separadas em cinco níveis:

  • Certificado ITIL Foundation;
  • Certificado ITIL Intermediate;
  • Certificado Managing Across Life Cicle;
  • Certificado ITIL Expert Level;
  • Certificado ITIL Master Qualification.

O sistema de certificação é baseado nas exigências necessárias para se cumprir papéis relevantes dentro de uma organização de TI que implemente o padrão ITIL. Atualmente há milhares de profissionais de TI certificados em ITIL em mais de 30 países.

As certificações ITIL direcionam os profissionais a gerenciar serviços de TI, além de estar se tornando muito conhecida e cada vez mais solicitada. A forma de realização das provas, forma de inscrição e preços variam por nível de certificação.

Posteriormente serão disponibilizados novos artigos sobre o tema ITIL, com o objetivo de guiar os profissionais que tenham interesse em aprender como funciona este framework, bem como ter conhecimentos necessários para se certificarem.

Comentário (1) Hits: 2126

ThoughtWorks quer as mulheres

Por Márcia Santos Almeida em . Publicado em Entrevistas

Não é de hoje que muitas empresas tem se preocupado com a presença das mulheres no seu quadro funcional. Muitos afirmam que as equipes mistas produzem mais e as mulheres tem um feeling para criação de novos produtos sem igual. É por isso que empresas do segmento de TI têm se redobrado para garantir a presença delas, já que é bem desproporcional em relação às demais.

Confira a entrevista com Camila Tartari que é recruiting lead da ThoughtWorks Brazil a respeito do trabalho que vem desenvolvendo na sua organização.

 

Por Maurício Renner

THOUGHTWORKS BRAZIL/DIVULGAÇÃO/JC

tw

1 - Quais são as metas da ThoughtWorks em relação à contratação de mulheres?

Camila Tartari – De maneira global, a meta da empresa é chegar um dia a ter a metade dos times formada por mulheres. Vamos nos aproximando desse objetivo pouco a pouco. No Brasil, hoje temos 15% de participação feminina. Até o final do ano, queremos aumentar o número um pouco mais, para 20%. Assim, ficamos um pouco mais perto da média mundial, que é de 27%. A companhia tem 170 funcionários no Brasil.

2 - Como vocês conseguem isso, se a grande maioria dos profissionais no mercado é homem?

Camila - Existe um estigma grande na área no sentido de que as mulheres não têm a mesma capacidade para lógica, matemática, etc. Nós fazemos um esforço para que talentos femininos considerem a carreira, patrocinando eventos na área, como o Rails Girls ou o Encontro Nacional de Mulheres em Tecnologia. É importante destacar que a empresa não diferencia o processo de seleção de acordo com gênero aceitando profissionais menos qualificadas ou se dispondo a pagar salário acima da média

3 - Qual é o ganho para a empresa por fazer esse esforço todo?

Camila - O esforço em aumentar a participação feminina no mercado é parte das metas sociais da ThoughtWorks. Nós acreditamos que também ajuda a aumentar a produtividade da companhia como um todo. É difícil produzir uma métrica para identificar isso, mas parece claro que pessoas com origens e experiências diferentes terão mais maneiras de responder a um problema dentro de um projeto.

 
Comentário (0) Hits: 1663

Helenir Queiroz: uma mulher empreendedora

Por Márcia Santos Almeida em . Publicado em Entrevistas

Goiânia - “Alguns homens veem as coisas como elas são e dizem ‘Por quê?’. Eu sonho com as coisas que nunca foram e pergunto ‘Por que não?’. A frase de Bernad Shaw é umas das preferidas da primeira mulher membro do Fórum Empresarial de Goiás e, também, a primeira mulher presidente da Associação Comercial Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (ACIEG): Helenir Aparecida do Amaral Queiroz.

Na semana em que se comemora o Dia Internacional das Mulheres, apresentar uma mulher de destaque no empreendedorismo goiano pode ser um grande incentivo para várias outras pessoas.

Helenir sempre inovou e empreendeu desde quando cursou Engenharia Elétrica, na década de 1970, curso que era dominado por homens. Fundou a empresa Multidata Tecnologia, na década de 1980, hoje líder de sucesso na área de atuação. Mais do que isso, Helenir é hoje representante dos empresários e empresárias do Estado de Goiás.

Como foi entrar em uma turma de Engenharia Elétrica na década de 70, curso que até hoje é dominado por homens?
Helenir Queiroz - Saí do curso normal do Colégio Santa Clara, que era só para mulheres, para a Escola de Engenharia. Na minha turma eram 115 alunos sendo apenas duas mulheres. Imagina o choque de sair de um mundo 100% feminino para um ambiente absolutamente masculino. Mas rapidamente aprendi a lidar com a praticidade e a objetividade masculinas que, de certa forma, me influenciaram muito. Admiro profundamente a forma direta e racional com que os homens buscam resolver os problemas profissionais, além da facilidade para criar produtos.

Como foi a criação e o amadurecimento da Multidata?
A Multidata nasceu em 1989 para atuar no segmento de redes. Cinco anos depois, entramos no segmento de software. Hoje somos a maior empresa de infraestrutura de Goiás e a segunda maior do Brasil na área de software em que atuamos. Temos clientes em todo o Brasil e escritórios em São Paulo e Brasilia.

A que você atribui o sucesso de uma empresa?
Trabalho duro e real foco no cliente. Montar uma equipe de primeira é chave, principalmente o nível gerencial, que é o que faz a roda girar. E estar junto dessa equipe passando a visão de onde chegar e de como fazer para alcançar os objetivos estratégicos projetados é muito importante.

Quais foram as competências e valores que vocês sempre seguiram?
Credibilidade, qualidade e foco no cliente. Esses valores não são apenas para estar num quadro na parede. São exercidos cotidianamente na tomada de decisão, na atitude, na educação dos colaboradores. Não somos perfeitos, mas vamos ao limite para ajudar nossos clientes.

Quais são as diferenças de um líder atual para um líder do século passado?
Os novos líderes sabem trabalhar bem com o contraditório, a diversidade, a velocidade e a falta de referenciais. Nós, da velha geração, lidamos melhor com estruturação, processos, padrões, organização e controles. Larry Page da Google recorreu durante dez anos à chamada “supervisão adulta” na fase inicial da gigante americana, demonstrando que a gestão ideal deve combinar a visão da geração Y com a experiência dos mais velhos.

Que dicas você daria de como ter sucesso?
Sucesso passa por trabalho árduo, excelente rede de relacionamentos e apurada visão das oportunidades. O tempo de espera por uma palestra deve ser aproveitado para conhecer pessoas e fazer o link entre o seu negócio e possíveis parcerias, ou mesmo novas formas de fazer o trabalho. É preciso ter visão, determinação, energia positiva, bom relacionamento e preparo.

Porque o engajamento na área de associações em que você esteve à frente?
A única forma da sociedade se manifestar é por meio das entidades. Acredito que a sinergia gerada nos movimentos classistas contribui decisivamente para a sociedade. Os avanços passam pelas entidades, igrejas, associações, sindicatos e sociedade organizada. É por acreditar nisso que sempre participei de associações.

Você tem twitter, blog, facebook, empresas, ACIEG, família e muito mais coisas. Como ter energia para isso tudo, qual seria o seu "segredo"?
Agora é mais fácil, porque minhas filhas são adultas. Quando eram crianças, era muito mais complicado, a atenção necessária era muito maior. Mas acho que hoje aprendi a usar todo o tempo de espera para me organizar e me relacionar. Enquanto estou no carro atualizo o Twitter, enquanto espero uma reunião faço uma lista de tarefas ou retorno ligações. Durante o horário de trabalho uso cada minuto possível. Em casa gosto de conversar com meu marido, cozinhar, beber um vinho, ver filmes e de receber amigos.

Pode dizer duas frases que a motivaram?
“Os obstáculos são os perigos que você vê quando tira os olhos de seu objetivo”, de Henry Ford, e “alguns homens vêem as coisas como elas são e dizem ‘Por quê?’. Eu sonho com as coisas que nunca foram e pergunto ‘Por que não?’, de Bernard Shaw.


Emerson Reinert Pereira Tokarski é Master Coach pela Fundação Internacional Condor Blanco, do Chile, e graduado em Relações Públicas pela Universidade Federal de Goiás e em Administração pela PUC-GO

Fonte: http://www.aredacao.com.br

 

Leia também: Helenir Queiroz - Desafio de Empreender

Comentário (0) Hits: 2736
No tweets found.
  • mamu