Joomleiras criam projeto de sensibilização da comunidade

Por MNT. Publicado em Notícias

joomleirasO projeto mulheres.joomla.com.br foi idealizado pelas profissionais Ana Barcellos e Ariadne Pinheiro, da comunidade Joomla! Brasil com o intuito de sensibilizar os profissionais de tecnologia da área em relação ao preconceito velado (ou não) contra mulheres na área.

O site reúne informações sobre o tema e depoimentos de mulheres da comunidade Joomla! Brasil que são a principal ferramenta do projeto para empoderamento das mulheres da área e criar empatia com os homens.

Convidamos todas as participantes do MNT a enviarem seu depoimento para contribuirem com o Projeto e a divulgarem a página onde considerarem pertinente.

Comentário (0) Hits: 999

Mulheres na Tecnologia são parceiras oficiais do FISL16!

Por Márcia Santos Almeida. Publicado em Notícias

EuVou Tux 1200x627

Para encerrar a nossa série '‪#‎SemanaDaMulher‬ no ‪#‎FISL‬: lugar de mulher é na tecnologia, sim, e onde ela quiser', temos o prazer de dar as boas-vindas ao 'Mulheres na Tecnologia - MNT' ao time do GT Temário do #FISL16!

O projeto Mulheres na Tecnologia já chegou a milhares de pessoas em todo o Brasil desde sua fundação em 2009. Organizando e participando ativamente de eventos como International Girls Hackathon, Workshops, Congressos, Fóruns, Ciclos de Palestras, Encontros Nacionais, o grupo de mulheres (e homens) agora é parte do time do FISL16.

Incentivar o empreendedorismo das mulheres na tecnologia da informação, capacitar e disseminar novas tecnologias entre as participantes, apresentar atividades que promovam a maior participação e ascensão das mulheres na área de tecnologia e informação, discutir as relações de gênero no mercado de trabalho e promover a troca de experiências são os princípios básicos que norteiam o trabalho do MNT.

O Mulheres na Tecnologia foi fundado por Andressa Martins, Narrira Lemos e Luciana Silva. Hoje é regido por um conselho gestor que se compromete a trabalhar profissionalmente para apoiar mulheres na tecnologia da informação.

Saiba mais: http://mulheresnatecnologia.org

Bem-vindos [email protected]!>

Fonte: FISL

Comentário (0) Hits: 1623

Nota de Solidariedade à jornalista Paula Rothman, editora da Revista INFO

Publicado em Notícias

logo-mnt

Tivemos conhecimento e manifestamos nossa indignação diante do acontecimento de violências moral e sexual (verbal escrita) vivido pela jornalista Paula Rothman na rede social facebook e por e-mail, relatadas por ela em resposta ao agressor no espaço da Revista INFO (Blog da Info), nesta segunda-feira, 15 de dezembro de 2014, com o título: ‘Carta para você que pediu um link para os meus peitos’[1].

Assusta-nos o alto grau de degradação moral e sexual contra mulheres no mundo, em especial no campo do trabalho (e do trabalho com TI), e potencializada pelos recursos das tecnologias de informação e comunicação. Sabe-se que em geral, quem sofre o assédio (na grande maioria,  mulher) adota uma postura de “culpada”, questionando-se se suas ações foram adequadas, provocadoras e insinuadoras. Nesse sentido, acreditamos que a primeira atitude de luta contra esse mal é romper o silêncio, que Paula fez com muita coragem e sabedoria nas palavras em sua carta resposta.

Ações contra o assédio sexual e moral não é uma luta de mulheres contra homens, mas de todas as pessoas, inclusive de homens, que desejam uma vida de paz e convívio em ambientes saudáveis. Por um mínimo de coerência, não se pode, por um lado, defender os princípios de igualdade e justiça e, por outro lado, tolerar, desculpar ou até mesmo defender comportamentos que agridam a integridade das pessoas. Desse modo, em relação ao autor do referido ato e às pessoas que comentaram a postagem com mensagens do tipo: ‘deixa pra lá’, ‘não liga pra isso’ ‘se não quer receber mensagem desconfortável, bloqueia a pessoa’ etc., o nosso repúdio. Para nós, mulheres, isso merece um basta! Não vamos nos calar. Nós conquistamos muitos dos nossos direitos porque muitas de nós tiveram a coragem de gritar basta! É este o primeiro passo para a transformação que queremos.

Nós, do grupo Mulheres na Tecnologia, manifestamos nossa solidariedade a Paula Rothman (e a todas as mulheres por ela representadas) e acreditamos que o principal instrumento contra esta realidade é a organização das mulheres, e de todas as pessoas que sonham viver numa sociedade igualitária, justa e feliz. Lutemos por esta sociedade, em que mulheres e homens sejam de fato livres.

[1] Cf.http://info.abril.com.br/noticias/blogs/info/internet/carta-para-voce-que-pediu-um-link-para-os-meus-peitos/

Rita Cristiana Barbosa

Comentário (1) Hits: 2153
No tweets found.
  • mamu